Tecnologia

Published on January 30th, 2015 | by Ramalho

0

Prevendo o futuro.

Escrevendo sobre tecnologia desde 1985 acompanhei diversas revoluções dentro da revolução maior que os computadores causaram à humanidade.

Algumas dessas mudanças trariam impactos definitivos sobre a prática e a vida de muitos negócios.

Em 1999 um pouco antes da temerosa virada do milênio, previsões surgiam todos os dias, das milenares de Nostradamus às mais imediatistas, incluindo aquelas do bug do milênio que causou um alvoroço mundial sob a possibilidade de grandes catástrofes acontecerem por falhas nos softwares em função da mudança de data.

Naquele período, com a internet ainda gatinhando, eu fazia minhas próprias avaliações do impacto que as novas tecnologias trariam sobre alguns segmentos empresariais.  Muitas empresas não estavam se preparando para uma nova realidade operacional e comportamental.

A descentralização da informação, a disponibilidade de acesso remoto e a transferência da operação de muitos sistemas do fornecedor para o consumidor me apontavam, por exemplo, que agências de viagens e locadoras de filmes estavam com seus dias contados.

Esta semana li um artigo interessante falando sobre como 70% das empresas que apareceram na lista das 1000 maiores empresas da Forbes há 10 anos já não existem mais.  A matéria cita dois casos, de empresas no segmento de locação de DVDs, a Blockbuster e a Netflix. A primeira apostou em lojas físicas e a segunda no envio dos DVDs pelo correio, operando de forma on-line.  Enquanto a Blockbuster expandia sua rede de lojas, a Netflix começou a oferecer os vídeos sob demanda pela internet, eliminando o envio físico do filme. À medida que a velocidade de acesso da internet melhorava, o negócio da Netflix atingia as alturas enquanto a Blockbuster, sem reação à mudança de hábitos afundava mais rápida do que o Titanic decretando falência em 2010.

O artigo não menciona agências de viagens, mas é bem provável que você como turista já comprou muitas passagens e reservou hotéis on-line em sites especializados, algo que há quinze anos era impraticável e te obrigava a recorrer a alguma agência que hoje não existe mais. É claro que muitas se adaptaram, expandindo seu negócio e atingindo novos clientes através do de sua versão on-line.

Para tentar explicar o sucesso de quem sobrevive, esse mesmo artigo salienta diversas posturas e iniciativas focadas na área de tecnologia das empresas. Vale a pena dar uma olhada.

http://agiledatacenter.cio.com.br/2015/01/29/em-defesa-data-center-agil-3/

Previsão é assim. Quando você acerta, você trás o assunto à tona, quando erra fica quieto.


About the Author

José Antonio Ramalho, escreveu 120 livros sobre tecnologia, fotografia, mitologia grega para crianças e viagens. Foi co-apresentador da 4 temporada do programa 50x1 da Rede Record. Seus livros já foram traduzidos para diversos idiomas.



Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to Top ↑